Transporte público: uma forma segura e barata de se movimentar em Hong Kong.

Logo que mudei pra Hong Kong comecei a avaliar qual a melhor forma de me movimentar pela cidade. A primeira opção foi comprar um carro, mas logo a ideia foi descartada, porque se por um lado me daria comodidade, por outro me causaria dores de cabeça, já que aqui a possibilidade de encontrar um lugar na rua pra estacionar é zero, sem falar que o preço para apenas uma horinha em qualquer estacionamento privado tem peso de ouro. :(

A segunda opção seria utilizar o transporte público. No início eu torci um pouco o nariz pra essa possibilidade, só de pensar em ter que ficar pendurada em ônibus lotado me deixou completamente desanimada… mas o que eu até então não sabia, é que eu não precisaria ficar dependurada em lugar nenhum, porque Hong Kong tem um sistema de transporte confiável e bastante seguro. Pra ser bem sincera, o transporte público daqui é o mais eficiente e moderno que já utilizei até agora.

Metrô de Hong Kong

É muito fácil ir a todos os lugares, pois o metrô, chamado de MTR (Mass Transit Railway), abrange praticamente toda a ilha. Costuma ficar bastante lotado, afinal aqui tem gente saindo pelo ladrão, mas os trens saem com muita frequência em nove linhas, por isso a quantidade de pessoas acaba não sendo um grande problema. Tem inclusive uma linha (a Kowloon Canton Railway) que chega até a fronteira da China Continental e outra (Aiport Express) que conecta o centro da cidade com o aeroporto.

Os ônibus e micro-onibus são eficientes, só que por conta do tráfego intenso costumam ficar muito lentos, por isso sempro evito utilizá-los no horário de pico.

Há também bondes, andei neles apenas pra conhecer os de dois andares (que dizem só existir aqui em Hong Kong), mas vou confessar: não gostei!! Circulam muito devagar e no verão são quentíssimos. Já as balsas levam para outras ilhas, são rápidas, climatizadas, econômicas e nos permitem desfrutar de excelentes vistas.

Outra opção é o Peak Tram – uma espécie de bondinho com uma linha fixa com destino a Victoria Peak, o ponto mais alto da ilha. É ótimo pra quem vem fazer turismo, porque além de ser rápido, a vista que se pode ter durante a viagem é única. Eu não gosto muito de usá-lo no dia a dia, já o fiz algumas vezes, mas acho que não compensa porque está sempre lotado de turistas.

Peak Tram

Para quem não gosta do transporte público tradicional, há os táxis. São abundantes e as tarifas baratas.

Muitos motoristas na ilha falam inglês, mas já aconteceu de tomar algum táxi cujo motorista não entendia absolutamente nada. Nesse caso, é necessário o passageiro ter o endereço escrito em chinês ou o motorista liga do seu celular a um operador e o passageiro explica o endereço por telefone.

Os táxis não são muito novos, já tomei alguns bastante velhinhos inclusive, mas circulam durante à noite, são confiáveis para usar a qualquer hora.

É obrigatório colocar o cinto de segurança, a falta deles obriga o passageiro a pagar uma multa de 5.000HK, o equivalente a 1.300 reais. Eu nunca tentei ficar sem o cinto pra saber se a multa é mesmo cobrada ou é apenas pra assustar…

Bonde de dois andares

Ah, outra curiosidade dos taxistas: para usar o bagageiro é um pouquinho mais caro, eles acrescentam 5HK ao preço da corrida por cada volume que é depositado no porta-malas. Mas, apesar disso, andar de táxi em Hong Kong compensa. Esse é o meio de transporte que mais utilizo, salvo em dias de chuva, que encontrar um táxi livre é mais difícil que achar agulha no palheiro.

Para quem vive ou vem pra passear, percorrer a cidade é facílimo e confortável, tanto faz pegar trem, metrô, ônibus ou balsa… o transporte público daqui realmente funciona e, o mais importante, é barato.

 

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

About these ads

5 responses to this post.

  1. Que legal Daisy! Adorei o bonde de 2 andares, muito fofo apesar de vc ter dito q não é muito funcional! Hihihih E os taxistas cobrando pra usar o porta-malas é fogo hein! Rsrsr… E o movimento de usar bicicletas, já chegou aí? Bjo!

    Resposta

  2. Sâmela, é realmente um gracinha o bonde, só que no verão parece um forno, além disso por causa da velocidade dá vontade de descer e continuar andando, seria até mais rápido… hihihi
    No início quando o taxista cobrou uma taxa por cada volume eu ainda pensei em reclamar, mas depois vi que é normal, eles têm um cartaz pregado na porta do táxi explicando tudo direitinho, ainda bem que fiquei caladinha.
    Nunca vi esse movimento de bicicletas, acho que por causa da área muito montanhosa. São muitas ladeiras, subidas e descidas, escadas, passarelas… xiii acho que nao iria fazer sucesso por aqui…rrsrsrs ;)

    Resposta

  3. Posted by Deisy Mara Julia Arruda Leme on 28/06/2012 at 9:29 PM

    Olá Daisy, foi muito bom te encontrar e saber que esta compartilhando das suas experiencia de primeiro mundo, para que possamos saber que a organizaçao funciona!!!! bjusss
    Ha e eu que gostei do trasporte da Espanã, agora quero conhecer o dai tambem kkkk.

    Resposta

  4. Posted by Deusa Carvalho on 17/07/2012 at 11:12 AM

    Bom saber como funcionam as coisas por aí,assim quando for te visitar quem sabe consigo me virar sem te monopolizar tanto né ? Bjoooossss e boas férias,depois conta como foi rsrsrs.

    Resposta

  5. da vontade de morar ai !

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: