Arquivo por Autor

St. Patrick’s day… está chegando!

No próximo domingo (17 de março) os Irlandeses celebram dia de São Patrício, também conhecido como St Patrick’s Day, um dos padroeiros da Irlanda. Pouco se sabe da vida de Patrick, mas diz A história que aos 16 anos, ele foi raptado por piratas irlandeses e levado para a Irlanda como um escravo. Acredita-se que ele ficou em cativeiro em algum lugar na costa oeste da Irlanda. Ele fugiu quando tinha 22 anos e passou 12 anos em um monastério. Com 30 anos ele voltou para a Irlanda como um missionário cristão. Segundo a história irlandesa, uma das formas de evangelização incluía o uso de um trevo de três folhas para explicar a doutrina da Santíssima Trindade para os irlandeses. Depois de quase trinta anos de evangelização, Patrick faleceu no dia 17 de março de 461 dC.

O Trevo - Shamrock

O Trevo – Shamrock

St. Patrcik até hoje é reverenciado pelos irlandeses devido aos seus grandes feitos na Ilha Esmeralda, tanto é que surgiram inúmeras lendas atribuídas a ele e entre as mais famosas se encontra a de que ele é o responsável por não haver serpentes na Irlanda, já que ele as expulsou com seu cajado, esmagando muitas delas também.

Aqui em Dublin são comemorados 5 dias de festa, sendo que dia 17 de março é o principal, quando ocorre um desfile que sai do centro, na parte norte da cidade (Dublin é dividida, pelo Rio Liffey, em Dublin Norte e Dublin Sul) e segue até a Catedral de St. Patrick e todo o trajeto é formado por um corredor de pessoas que acompanham de perto as alegorias. Nos demais dias são apresentadas peças de teatro, espetáculos musicais e de dança, shows e várias oficinas culturais.

A cidade está esperando a visita de muitos turistas, os pubs já estão decorados, em várias lojas são encontrados diversos tipos de decoração para a grande festa irlandesa. Nas ruas já é possível ver pessoas usando algum apetrecho verde, seja um simples broche ou um extravagante chapéu, isso é Dublin,“celebração”! Os irlandeses adoram festejar e em suas comemorações não pode faltar cerveja, afinal essa data também é lembrada pelo alto consumo de cerveja e pelos pubs lotados, com quase todo mundo bebendo, afinal, esse não é um dia triste e sim uma data histórica e cultural.

Temple bar - Um dos mais famosos pontos turístico de Dublin

Temple bar – Um dos mais famosos pontos turístico de Dublin

Enfim, está chegando o feriado, dia dos desfiles, das pessoas degustarem comidas típicas da Irlanda e beberem cerveja, normalmente Guinness, ou whiskey ou Irish cream. Dia que todas as pessoas querem ser Irish (Irlandeses). No próximo post vou contar como foi a grande festa.

Happy St. Patrick’s Day!

Danielle Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Porque a vida é feita de momentos: da Irlanda para a Espanha!

Um dia fui para aula de inglês e conheci duas pessoas incríveis, meu amigo Pablo (espanhol) e minha amiga Mariana (brasileira), e ambos moram na Espanha. Enquanto eles estavam em Dublin, fizemos algumas coisas juntos como ir a um típico Pub irlandês, visitamos outra cidade, enfim, foram bons momentos. Antes do Pablo voltar para Espanha ele  preparou um típico jantar espanhol, com isso a nossa amizade só estava começando, combinamos de nos encontrarmos na Espanha, eles não acreditaram que eu iria visitá-los. Finalmente viajei para capital espanhola – Madrid, fui muito bem recebida pela a Mari, foi surpreende, pois visitamos vários lugares em Madrid, como Museu do Prado, Museu Reina Sofia, Puerta del Sol, Gran Vía, Parque del Retiro, Plaza Mayor, Templo de Debod, Nuestra Señora de las Comunicaciones e outras coisas mais.

De vários lugares que estive em Madrid, o mais interessante pra mim foi ver pessoalmente as obras incríveis de Pablo Picasso e de Salvador Dalí no Museu Reina Sofia, pois eu estudei sobre esses grandes artistas na escola. Sempre admirei as obras de Salvador Dalí, já que gosto muito o movimento artítico Surrealismo e poder estar na frente das obras foi simplesmente incrível!

The Enigma of Hitler – Salvador Dalí 1939

The Enigma of Hitler – Salvador Dalí 1939

Viajamos para Alicante o sul do país, uma cidade com belíssimas praias, castelos, bons restaurante, enfim, uma cidade aconchegante. Fomos muito bem recebidas pelo nossos amigos Pablo e Jesús, vivemos momentos especiais que jamais me esquecerei, visitamos Castillo Villena, passeamos pelo centro da cidade, La explanada de Alicante, Playa de San Juan e uma pequena e charmosa cidade chamada Altea, uma antiga vila de pescadores. Um dos pontos famoso da cidade é “Casco Antiguo” com ruas estreitas, casinhas brancas, ótimos restaurantes e uma vista maravilhosa para o mar, já que a “Cidade Velha” fica no topo de uma colina.

Altea - Casco Antiguo

Altea – Casco Antiguo

Uma curiosidade interessante é que os espanhóis valorizam muito “La Siesta” que é o ato de descansar um pouco depois do almoço. Pode ser sentado no sofá de olhos fechados, pode ser ouvindo as notícias na TV ou simplesmente deitado na sala ou no quarto de janelas abertas. Por incrível que possa parecer, eles vão para casa, vestem seus pijamas, ligam o despertador e dormem por pelo menos uma hora e então retornam para suas atividades.

Viajar para a Espanha foi uma experiência fantástica, no pouco tempo que estive no país conheci um pouco da cultura, os costumes, os hábitos e a deliciosa gastronomia. Espero um dia poder voltar à Espanha para conhecer outras cidades.

La explanada de Alicante

La explanada de Alicante (Pablo, Mari, eu e Jesús)

Fique com Deus! Beijos! :)

Danielle Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

A cada dia um novo desafio

Queridos leitores, antes de qualquer coisa me desculpem pela ausência, pois nos últimos meses tiveram muitos acontecimentos, vou explicar pra vocês:

Como vocês sabem estou morando em Dublin há 4 meses, nos primeiros dias eu estava me organizando na cidade, regularizando minha permanência no país e entre outras coisas. Estava à busca de um emprego como au pair, pois considero uma grande oportunidade, devido à possibilidade de morar com uma família irlandesa, conhecer os costumes, os hábitos, viver realmente a cultura deles, além de praticar diariamente  o inglês, já que o trabalho é cuidar das crianças, além de ganhar um dinheirinho para poder viajar.

Finalmente em 2 meses consegui uma oportunidade de trabalhar como au pair, fui morar com uma família irlandesa, era responsável por dois adolescentes, a experiência foi maravilhosa, vivenciei coisas que jamais imaginei. Tive uma experiência muito engraçada na primeira vez que fui buscar o garoto na escola, me perdi, não me lembrava do caminho, pra mim é diferente dirigir aqui, pois tudo é ao contrário já que a direção é do lado esquerdo. Tive que parar e pedir informação, mas graças a Deus conseguiram me entender e eu também, ainda bem que deu certo e eu consegui chegar a tempo na escola, enfim, entre outras coisas que vivi que foram bem relevantes para o meu crescimento, tanto como pessoa, quanto no meu aprendizado do idioma. Porém, foi uma experiência rápida de apenas 40 dias, por alguns motivos, não foi possível permanecer na casa, no entanto continuei a buscar por um novo emprego fiz várias entrevistas que até perdi a conta, como sou brasileira “não desisto nunca”! Rsrs…

Contudo, depois de 40 dias trabalhado resolvi tirar uma semana de férias na Espanha, foi uma viagem fantástica que vou escrever no próximo post. Quando voltei da Espanha continuei a busca de um novo emprego, Graças a Deus eu consegui uma nova oportunidade de trabalho como au pair, já estou morando com uma família irlandesa estou gostando muito da experiência, com certeza contarei mais nos próximos posts, só sei que a pequena garotinha está tornando meus dias menos difíceis, num país extremamente “congelante” onde a única coisa que não congela é a saudade da minha família e amigos, mas acredito que para ganhar algo temos que abrir mão de alguma coisa e nesse caso pra mim é estar longe das pessoas que realmente amo!

O Rio Liffey corta a cidade de Dublin. Foto: Fazen/Flickr

Fiquem com Deus!

Até a próxima!

Danielle Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Este é o post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Primeira vez em Dublin

Sempre tive muita vontade de morar fora do Brasil para estudar inglês, mas nunca imaginei que esse desejo iria acontecer em algum momento da minha vida. No Brasil as coisas sempre fluíram muito bem, eu estava confortável, porém não estava satisfeita, quando perdi meu emprego enxerguei uma oportunidade de poder realizar esse sonho de fazer intercâmbio.

Depois de muitas pesquisas e análise, a melhor opção em custo benefício foi à Irlanda – Dublin, por isso, estou aqui! Nunca tinha feito uma viagem internacional, estava muito empolgada com os preparativos, foi muito interessante realizar as pesquisas conversar com os brasileiros que já moram em Dublin. Foram quase três meses de muita expectativa, afinal não era uma viagem de turismo e sim estava de mudança para outro país, sim estava de mudança para a Europa.

Depois de quase 14 horas de viagem, finalmente cheguei a Dublin, era quase 20hs e estava de dia, como pode ser noite? Mas está claro? Dublin tem um clima temperado marítimo, com verões frios e invernos nem tanto rigorosos, em comparação a outros países da Europa.

Como em toda Europa, estamos no verão, mas aqui em Dublin o verão é bem diferente do Brasil, pra mim é igual o inverno de São Paulo, já estou me preparando psicologicamente para o inverno, deve ser tenso ter poucas horas de sol e muito frio. Já que no verão temos cerca de 18 horas de luz e no inverno 9 horas, ou seja no verão amanhece por volta das 5hs e escurece por volta das 22hs. Em contrapartida no inverno amanhece em torno das 10hs e quando dá umas 15hs já está de noite.

Contudo, viver em Dublin é totalmente diferente da rotina conturbada de São Paulo. Como a cidade é pequena, a maioria das coisas pode ser resolvida a pé ou de bicicleta. O governo incentiva o uso de bicicletas, em Dublin existem 44 estações de dublinbikes que estão distribuídos por todo o centro da cidade facilitando a locomoção. É muito simples você faz o cadastro paga 12 euros e usufrui do serviço por um ano, podendo utilizar a bike num período de 30 minutos, que é o suficiente para chegar mais próximo do destino, além de contribuir com o meio ambiente, também é possível se exercitar.

Uma das estações de bike.

Ainda não tenho uma rotina estabelecida, pois não considero o fato de ir à escola todos os dias como rotina. Pra mim, tudo tem sido uma novidade a cada dia. Ainda tem muitos lugares para conhecer, muita coisa para experimentar, muitas viagens pela frente e principalmente muitas histórias engraçadas com meu inglês! :)

Henry Street é uma das principais ruas comerciais de Dublin.

A gente se encontrar no próximo post!

Beijão!

Danielle Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Este é o post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook