Posts Tagged ‘maputo’

42 minutos de Maputo, conheça a capital de Moçambique

Há um tempo atrás, eu contei pra vocês que é bem difícil encontrar conteúdo bom sobre Maputo na internet e publiquei neste outro post um vídeo bacana.

Mas o vídeo anterior é curtinho, e vasculhando a web encontrei este episódio do programa “Portugueses pelo mundo” que é todinho sobre Maputo. Pra quem está vindo pra cá ou pra quem quer conhecer um pouquinho mais da cidade, vale muuuuito a pena.

Tudo o que eu tento escrever pra vocês, os bairros, os lugares, as capulanas, etc, é mostrado de uma forma bacana. Bom, é isso, dessa vez o vídeo vai falar por mim! :)

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Vejam Maputo, que é tão difícil explicar em palavras!

É muito difícil representar qualquer cidade em palavras, porque os lugares sempre serão e terão muito mais do que conseguimos escrever. Maputo é assim. Apesar dos grandes contrastes sociais, é possível ver beleza por aqui se você estiver com o coração e os olhos abertos!

Através do vídeo abaixo, acredito que vocês conseguirão ter uma visão um pouco maior da capital moçambicana. Seus prédios, as ruas, o trânsito, os meios de transportes “chapas e machibombos” (vans e ônibus), avenidas principais, CFM (Caminhos de Ferro de Moçambique), Mercado do Peixe, os pescadores, o mar, as crianças, etc… Tudo isso junto e misturado, faz Maputo ter uma beleza única e pitoresca!

O vídeo também mostra um pouco de Joanesburgo na África do Sul, mas é muito fácil diferenciar uma cidade da outra, vocês vão ver!

Curtam um pouco do meu novo lar!

Vaya Moshibombo Vaya! (Go Bus Go!) from sydelle willow smith on Vimeo.

E aí, o que acharam de Maputo? Querem vir me visitar? :)

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Hindus, uma cultura diferente em pleno Moçambique!

Eu não sei o que acontece mas aqui tenho tido contado com outras culturas de uma maneira muito mais íntima. Em São Paulo há muitos estrangeiros e descendentes de imigrantes também, mas acho que a cidade é tão grande que eu não conseguia vê-los praticando seus costumes. Ou talvez realmente eles perdem/perderam um pouco disso.

Ganesha, deus hindu.

Aqui as pessoas vivem e mostram sua cultura no dia-a-dia. No quesito religião, há uma grande pluralidade: Muçulmanos, Católicos, Evangélicos, Hindus, e muito mais. Pelas ruas é fácil ver uma mesquita ou igreja, e aqui de casa, ouço constantemente cânticos de pessoas que acreditamos ser muçulmanas. Acontecem sempre nos mesmos horários e eu acho muito bonito. :) O Ramadã por exemplo, é levado super a sério e o comércio fecha cedo nessa época já que boa parte dos comerciantes são muçulmanos. Mas o mais surpreendente foi acompanhar de pertinho um ritual Hindu, o Ganesha Chaturthi.

Eu já havia lido um pouco sobre os hindus, e aprecio muito suas crenças cheias de histórias e personagens diferentes. No ano passado, no início de Setembro estávamos passeando de carro na Av. Marginal aqui em Maputo, quando avistamos um grande aglomerado de pessoas coloridas e a cantar. Paramos, claro! Moisés com seu espírito de fotógrafo, já foi logo se infiltrando e se enturmando, e pudemos ver tudo!

Depois de algumas pesquisas, concluímos que o ritual se tratava da comemoração do aniversário do deus Ganesha. Este evento acontece anualmente e na mesma época. Eles cantavam muito e estavam cheios de tintas coloridas! Depois chegou um caminhão com uma grande imagem de Ganesha, o barulho aumentou e de repente a maioria das pessoas foi pro mar. Jogaram oferendas e puseram Ganesha em um barco, foram bem longe e depois voltaram. Lindo! A única coisa ruim foi que muitas das oferendas foram jogadas ao mar em sacolas plásticas, o que não é nada bom para a natureza. Clique aqui e confira todas as fotos em nosso álbum!

É incrível poder ver isso tudo de perto, e neste ano vamos estar nesta festa novamente!

E você, já teve contato com alguma cultura diferente? Gostou desta festa hindu? Conte suas experiências pra nós!


 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

3 sugestões para ajudar quem tanto nos ajuda: Empregadas Domésticas Moçambicanas!

Ainda no tema “Empregadas Domésticas”, um dos problemas é quando nós, gringos, vamos embora. Se você tem uma boa relação, o apego é inevitável e pensar nestas pessoas desempregadas, passando mais necessidade, não é nada legal. Então, se você gosta de quem trabalha com você, aí vão algumas dicas para auxiliar na formação e preparação para este momento, mas antes, vou compartilhar algo que mexeu comigo:

Uma vez, um amigo brasileiro que está aqui há anos, me contou que estava incentivando a empregada a abrir uma barraca de comida típica em uma feira gastronômica que tinha por aqui sempre no último fim de semana de cada mês. Eu achei o máximo, ele ensinou noções de quantidade, preço, atendimento ao cliente, higienização, estoque, investimento, etc. Eu perguntei: “Mas você não tem medo de dar super certo e ela deixar de ser sua empregada?”, ele respondeu: “Não. Minha alegria seria vê-la evoluir!”.

“Fazer uma feira” pra auxiliar,  já é um ótimo caminho!

Xima, creme semelhante ao angu mas a base de farinha de milho.

Tipo empresas que dão cesta básica mesal? Nada novo e super simples. Incrivelmente, é normal pessoas aqui terem apenas um refeição ao dia e nem sempre é completa. Incrivelmente sim, porque quero me forçar a não achar isso normal, isso é terrível, e inacreditável que ainda aconteça. Se sua empregada tem dificuldade em aprender, por exemplo, lembre-se sempre que este país é novo (independente desde 1975), acredito que o processo de amadurecimento do Brasil não foi de um dia pro outro. Aliás, ainda temos muito o que aprender mesmo após quase 200 anos de independência.  Imagine que ela é fruto de toda essa novidade. Além disso, a desnutrição afeta a capacidade de aprendizado, ou vocês acham que conseguiriam trabalhar pesado o dia todo (trabalho de casa não é fácil e parece que nunca acaba), raciocionar, etc,  apenas comendo algo com um punhado de xima, por exemplo? Acho que não.

Por que não oferecer os benefícios que julgamos justos no Brasil, como 13º e uma reserva como se fosse o FGTS ou INSS?

Se o seu funcionário merece, por que não? Você não precisa dizer que vai fazer, ou diga, tanto faz. A questão é que, isso é reconhecimento e estímulo a um bom trabalho. Quando o patrão for embora, e este funcionário tiver uma “reserva-surpresa” vai ajudá-lo a se manter por um tempo até encontrar um novo emprego. Como aqui é livre, você pode definir os valores ou % a serem pagos ou guardados. Ações simples mas que podem fazer a diferença.

Se houver a oportunidade, desenvolva e ajude o profissional que trabalha com você a evoluir, e ter um currículo mais atrativo e concreto. Isso refletirá no seu dia-a-dia e o ajudará a encontrar um novo emprego se necessário:

Como exemplo, há os cursos de formação que vão de 2.000,00 MT a 8.000,00 MT, como os cursos ministrados pela empresa Londrina Cursos. Um local simples que se propõe formar Babás, Empregadas Domésticas, Cozinheiras, etc, e também aceitam alunos do sexo masculino. Particularmente, não tive uma experiência muito boa quando contratei o serviço deles. Professores faltavam, não apresentaram um roteiro de aulas sólido, e quando liguei para dizer que estava tendo um feedback negativo disseram que iriam verificar mas nunca retornaram. Resultado, cancelei. Mas não posso dizer muito pois tudo isso aconteceu perto das festas de fim de ano, e isso pode ter afetado a rotina das aulas. (Londrina Cursos, Av. Vladimir Lenine, 1156, primeiro andar direito, próximo a lanchonete “Cantinho do Brasil”. Fone: 825072215 / 840487550)

Conheci também a empresa Celeste, mas esta oferece um serviço diferenciado onde consultores da empresa vão até a sua casa, estudam a rotina e elaboram um novo plano de trabalho para os empregados. Como o que eu estava a procura era formação para a Dona Tereza, este não se encaixou muito bem. Mas para quem quer uma forcinha para ensinar e otimizar a rotina da casa, pode ser uma boa. (Celeste – Consultancy in Hospitality Services, Av. Mártires da Machava, 1569 . Fone: 827966795, e-mail: hospitalityformacao@gmail.com)

Acreditem ou não, há empregadas hiper, mega, blaster, ultra capacitadas aqui! Dirigem, falam diversas líguas, administram o lar, verdadeiras governantas! Ah, e a maioria das empresas, como as que citei acima, indicam empregadas também.

Acredito que haja muitas outras ações bacanas que podemos fazer, então compartilhem aqui com a gente!

(se quiserem saber mais sobre o tema, leiam o post onde conto um pouco mais sobre meu convívio com Dona Tereza)

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Empregadas Domésticas: Um novo convívio que passei a ter em Moçambique.

Muitos amigos e curiosos quando souberam que eu estava vindo para a África, me perguntaram sobre a questão da pobreza. Se eu teria contato direto com isso e tal. Não poss0 dizer que tive contato com a miséria extrema, mas há uma pessoa que convive comigo que tem lutado pela vida e pela prosperidade da sua família a cada dia, Dona Tereza. Essa mulher de 49 anos, com ar sereno mas com marcas do cansaço e trabalho duro ao decorrer da vida, começou a trabalhar para o Zeca poucas semanas após ele chegar em Maputo. Já faz mais de 3 anos que um cuida do outro.

Quando cheguei fui alertada sobre váaaaaarias histórias, empregadas que roubavam dinheiro, comida e itens em geral, que não trabalhavam direito, que cheiravam mal, etc. Ouvi de tudo. E realmente, se a empregada é nova, é necessário mais cautela e alguns testes. Mas no meu caso, ela já estava há 2 anos e pouco e já tinha conquistado confiança. A minha expectativa em conhecer Dona Tereza era muita, já que Moisés se referia à ela “como a mãe africana” dele! Eu tinha que ser aprovada por mais uma sogra! :P Quando nos conhecemos vi que tudo daria certo, realmente ela é um amor. As inseguranças passaram e comecei a ensinar algumas coisinhas a mais. Acho que o que ela mais gosta, é quando eu a ensino a fazer um prato diferente ou mostro interesse em aprender com ela os pratos moçambicanos!

Nossa relação é bem estreita, sempre queremos saber como ela está e como estão todos da sua família. A maior lembrança que tenho nestes quase 10 meses, foi um momento de tristeza meu, onde foi nos braços dela que eu chorei, e o mais bonito é que ela não aguentou me ver chorar e começou a chorar junto. A situação ficou até engraçada, porque eu não queria vê-la chorar e eu é que tive que acalmá-la! Rs… No dia-a-dia a gente se ajustou bem, é claro que até hoje vira-e-mexe tenho que pedir algo, ensinar a mesma coisa mais de uma vez, mas nada que seja gritante, afinal não sou obcecada pela casa. Ela ser de confiança e carinhosa com minha família é o que mais conta. Acho que tratá-la com educação fez toda a diferença, ela respondeu de forma recíproca. Dona Tereza pra mim é o exemplo de que pode ser diferente. Limpinha e sempre arrumada (se não fosse, orientaríamos e ajudaríamos e ponto), chega no horário e não reclama de trabalho, administra a casa, cardápio, etc, come o que a gente come, sem diferença alguma. Se tem carne, é carne pra todo mundo, se tem ovo, é ovo pra todo mundo.

Diferente do Brasil, onde ter uma empregada é luxo, e no máximo eu tinha uma faxineira a cada 15 dias, em Moçambique é super normal ter empregados em casa. Acredito que a falta de emprego faz com que essa mão de obra se torne muito barata, e um dos serviços fixos e seguros é trabalhar em casas de família. O salário mínimo em Moçambique é… difícil de definir! Oficialmente, encontrei esta notícia que informa os salários aprovados para 2012, e nela são apresentados salários diferentes para cada setor. O que mais os empregados domésticos se encaixam é o “setor das atividades dos serviços não financeiros”, e o valor é de 3.510,00 MT. Vou tentar inserir, vocês leitores, um pouco mais no cenário: um salário mediano de 3.510,00 MT como apresentado no link acima, corresponde hoje a 125,00 USD, ou seja, cerca de R$ 232,00. Difícil nos imaginar vivendo só com isso por mês, não acham? Mas acreditem se quiser, muitos empregados nem isso ganham. E isso se encaixa a seguranças de estabelecimentos, guardas particulares, etc. Fico triste ao ver como patrões de nacionalidades diferentes, incluindo brasileiros, infelizmente tratam os funcionários quase como animais. Sim, isso acontece.

Acho que trabalhar em empresas grandes onde o elemento “pessoas” sempre foi uma das peças-chave para o sucesso, me fez entender que só valorizando e dando condições mínimas é que terei o retorno que espero. Levo esse aprendizado pra onde vou. Alguns me acham mole, mas situações como essa me lembram o quanto não somos nada e fazemos tão pouco e o quanto temos a péssima mania de esquecer que somos todos da mesma raça, a humana. É tão mais fácil esquecer, inferiorizar, explorar, etc… Qual o salário correto? Isso é uma pergunta que devemos responder individualmente analisando o próprio cenário. O que posso dizer, é que os valores que mais ouço são entre 3.000 MT e 5.000,00 MT. Em paralelo, há uma movimentação para padronizar o salário mínimo em relação ao custo de vida. Ano passado, sindicatos moçambicanos sugeriram um salário mínimo de 7.200,00 MT (cerca de 260,00 USD, na época) conforme esta matéria. Com estas informações, acho que vocês conseguirão definir melhor. ;)

Dona Tereza é extremamente especial para nós e nem quero imaginar a hora da despedida! Mas já pensando nisso, neste outro post, há 3 sugestões de como capacitar e auxiliar no processo de aprendizagem e crescimento profissional destas nossas companheiras de todos os dias!

Aproveitem este espaço pra expor situações e quem sabe ouvir sugestões de outros leitores!

Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | FacebookTwitter | Blog pessoal

Meu primeiro fim de ano em África!

E não é que 2012 chegou? Parece que foi ontem que desembarquei em Moçambique, mas já se passaram quase 9 meses! Há muita coisa pra contar ainda sobre este período mas para sair do clima Panettone, Peru, Farofa e Espumante vou contar como foi meu primeiro fim de ano em Moçambique.

No Brasil, já em Novembro vemos muitos lugares enfeitados, Panettones a venda, etc, mas aqui, o Natal foi tímido. Como esta é uma festividade cristã, e aqui em Maputo existem muitos muçulmanos, hindus, etc, a cidade quase deixou a data passar desapercebida se não fosse por alguns enfeites e o longo feriado propício para viajar. Feriado porque diferente do Brasil, quando um feriado cai no Domingo, aqui em Moçambique ele é transferido automaticamente para a Segunda-feira. Isso é bacana! hehehe! Para saciar meu desejo, um duende, disfarçado do amigo brasuka Juscelino, trouxe um Chocottone Bauducco de presente pra mim! Aqui não tem, então, o jeito foi comer bem devagar pra durar todo o Natal! :)

Aqui há pouquíssimos shoppings e os que existem em nada se parecem com os que estamos acostumados, lembram mais grandes galerias com pouca variedade. Pra vocês verem um pouquinho da maior decoração que vi, aí vai a foto da minha amiga brasuka Lívia e seu filho Ian no Shopping Polana em Maputo. Eles estão na cadeira do Papai Noel, que aqui, assim como em Portugal, se chama “Pai Natal”. (eu vou lá toda a semana e nunca vi um Pai Natal sentado aí… rs)

Acho que o mais diferente deste Natal foi este Pai Natal magrelo e solitário andando pelas ruas chuvosas de Maputo no dia 24/12 flagrado pelo Zeca:

O nosso Natal foi regado a amigos e uma ceia como a do Brasil, Peru, Farofa, Sobremesas… hum, tudo muito gostoso! Os amigos que não viajaram para o Brasil ou outro país se juntaram e fizeram muito bem o papel da família que nos fez tanta falta neste dia! Fizemos amigo-secreto e trocamos prendinhas!

Nossa Árvore e os presentes! Ao lado, eu e o amigo Caniço que me tirou no Amigo-Secreto e me deu como prenda uma caneta BIC!!!! Depois, ele veio se redimir com uma Amarula! kkkkkk Adorei!

Na semana da virada de ano, pra mim a cidade estava normal (cheia). Acho que por mais que os gringos passem o fim de ano em outros países, os moçambicanos que moram nos países vizinhos ou em outras províncias moçambicanas vem passar com a família em Maputo, logo, ficam elas por elas. Os mercados abarrotados de gente, bixas (filas) enooormes, e produtos em falta. Depois de 4 mercados consegui um único pacote de farinha de mandioca brasileira e ainda rasgado! heheheh O churrascão dos brasukas que ficaram teve farofa!!!

A última noite do ano foi maravilhosa! Comemos, conversamos, brincamos e a meia-noite saímos para ver os fogos de artíficio! Fogos? Rsrs… aqui foram quase faíscas! Não durou muito tempo e foram em pontos bem distantes uns dos outros, realmente ainda não faz parte do costume daqui. Mas isso não tirou nenhum pouco o brilho da noite! Nos abraçamos, fizemos orações silenciosas e, 4 horas antes do Brasil, 2012 chegou! Fim de ano aqui é assim, pra quem gosta de glamour, agitação, não aguenta ficar longe da família, etc, Maputo não é uma boa pedida. Mas pra quem consegue ser feliz com o simples, Maputo acolhe muito bem! Ainda não tive a oportunidade de estar em uma casa moçambicana nestas festas para poder mostrar à vocês como é comemorar ao estilo deles, mas se o mundo não acabar em 2012 quem sabe nas próximas, né? :) Como a malta (galera) brasuka diz: Maputo parece ser um seriado para nós, onde uma nova temporada começa anualmente. Uns personagens se vão e outros chegam,  uns se casam, tem filhos, viajam, voltam, enfim, essa foto da nossa primeira noite de 2012 mostra um pouco dos personagens desta temporada! Saudade dos antigos, boas-vindas aos novos e agora me sinto realmente parte disso!

Seja bem-vindo, 2012!

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Uma das estrelas do MFW 2011: Campanha contra o Câncer de Mama

Zeca entregando o brinde inusitado à 1ª Dama, Sra. Maria da Luz esposa do atual presidente de Moçambique, Armando Guebuza.

Umas das coisas mais interessantes que vi neste Moçambique Fashion Week 2011 foi a ousadia nas ações de uma campanha contra o câncer de mama. Ousadia porque aqui este assunto ainda é obscuro e até visto com certo pré-conceito, o jeito foi chamar atenção. O MFW tem se juntado todos os anos à Associação de Luta Contra o Cancro (ALCC) e investido sério em campanhas de consciencialização (como se diz aqui). Na noite do desfile dos Young Designers Moçambicanos,  foi entregue um brinde às mulheres que chegavam ao desfile. Quando abri o pacotinho, a esquisita surpresa: um sutiã com uma única taça. Ao ler a frase pendurada nele que dizia “Não deixe o cancro da mama virar moda. Faça o auto-exame e previna-se.” pensei, é… realmente mulher nenhuma vai querer usar um sutiã assim. Parece uma ação simples pra nós brasileiros que estamos cada vez mais acostumados com uma publicidade bem mais agressiva no nosso país, mas para cá acredito que foi inusitado. Eu via a expressão das mulheres quando abriam os pacotinhos, foi bem diferente. Vejam algumas fotos:

1ª Dama e convidada do MFW apreciando o brinde inusitado!

Mas inacreditável mesmo foi a ação do dia 07/12, no desfile dos Estilistas Estabelecidos. Quando cheguei no MFW me deparei com isto:

Eu e minha amiga também brasuka, Gabi, lendo o folheto!

Dá pra acreditar? Seios de fora! D+! Não pela nudez somente mas pela coragem, por incentivar a mulher a se tocar, isso aqui ainda é um grande tabu e quando já não é tabu nem sempre o conhecimento é disseminado. Foi esquisitíssimo apertar o seio de uma outra mulher, ainda mais com todo mundo olhando cheio de expectativa mas eu, e acredito que as outras mulheres que participaram, entendemos o recado e não vamos nos esquecer desta experiência! Parabéns pela coragem, malta (galera) moçambicana! :) Ah! E ainda, o apertar dos seios funcionava como um botão, assim que apertei saiu um folheto ao lado explicando que o câncer de mama assim como o seio também é real, além de trazer no verso um passo-a-passo sobre como fazer o auto-exame, tecnologia, hein! Super automático! Rsrs… (Saiba mais sobre o “Cartaz Topless“)

A cereja do bolo foi uma campanha líndissima que usou heróinas e vilãs dos quadrinhos para incentivar o auto-exame. Tempestade e as Mulheres-Gato, Maravilha e Hulk uniram forças em prol da saúde feminina. Com uma ideia original e uma ilustração incrível da moçambicana Maísa Chaves, as imagens abaixo se tornaram um viral na internet e já foram compartilhadas por mais de 40.000 pessoas em todo mundo via redes sociais, além de estarem nos principais sites e blogs da área de Publicidade e Comunicação como o Ads of the World e o Clube de Criação de São Paulo. Desconheço outro episódio na publicidade moçambicana que tenha tomado esta proporção! Parabéns a toda equipe, DDB Moçambique! (para saber mais sobre publicidade moçambicana acesse o blog: Gramei.com)

Agência: DDB Moçambique
Criação (campanha em geral): Christiano Vendramine, Sara Vale, Erick Vansconcelos, Vânia Chiburi, Bento Litsur
Direção de Criação: Zeca de Oliveira, Anderson Lima
Ilustração: Maísa Chaves
Produção Gráfica: Faruk Issufo, Mauro Mussagy
Planejamento: Cristiana Oliveira
Atendimento: Vasco Rocha, Christine Ramela, Fernanda Neves
Mídia: Khida Ismael

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Nem tudo é África.

Pra ajudar a entender um pouquinho do continente onde estou, resolvi postar este texto que fiz há um tempo atrás para o portal Discorra.com. Ele diz tudo o que eu penso sobre este tema e não havia porquê escrever algo diferente, ele está com uma “pimentinha” a mais pois o Discorra.com merece isso, confira o blog dessa galera brasuka, depois de ler meu post é claro, e vocês vão entender! Rsrs…

Quando você acha que as aulas de Geografia e História não servem de muita coisa, estuda o mapa da América do Norte e Europa pra ser “cult” e entende um pouco da América Latina pra poder comprar o pacote certo numa agência popular de viagens (vulgo CVC no Brasil), fica com a mania besta de generalizar o mundo. Aí, quando falamos em África vem a catástrofe: os países menos conhecidos perdem o nome e viram simplesmente “África” e o território africano vira uma grande savana habitada por negros miseráveis e epidêmicos.

Não meus queridos, nem tudo é África. África é apenas um continente que abriga uma diversidade de países, culturas, regimes econômicos e políticos e por aí vai. Apenas? É, eu não diria “apenas” pois o continente africano possui 54 países independentes e é o 3˚ mais extenso e o 2˚ mais populoso do mundo*. Mas por que então quando queremos falar dos países africanos rotulamos logo como “África”? Por um acaso quando queremos falar de Brasil dizemos “América”? Não. Vai entender…

A coisa complica mais ainda quando “descobrimos” que há um PAÍS chamado África do Sul (na realidade República da África do Sul, mas ninguém diz assim). Pronto, o nó está feito e o ponto de interrogação está em alerta. Claro que por conta do desenvolvimento e de eventos como a Copa do Mundo de Futebol de 2010 as pessoas passaram a entender melhor esta divisão, mas mesmo assim é fácil ouvir: “Ah, a África do Sul é a parte sul da África?”. Bom, como eu disse a África do Sul é um país que obviamente fica no sul do continente africano.

E quando vamos falar de um país africano “menos conhecido” como Moçambique onde moro hoje? Ah, como “ninguém conhece” Moçambique é só botar África que da no mesmo. NÃOOOOOO! Não da no mesmo! Você diria que Egito e Angola são a mesma coisa??? Pelo pouco que vê na TV acredito que você responderia: não.  (ah, e aproveitando realmente Egito, Marrocos, Tunísia e etc também ficam na África, na parte norte mas é África) Pois então, eles estão na África, mas cada país tem sua história, identidade e cultura, sendo simplista demais resumí-los ao nome do continente.

Olha que bacana esse mapa que a maioria de nós deve ter usado pra fazer aviãozinho ou mandar bilhetinhos na escola:

Mapa do Continente Africano

Agora que relembramos que África é um continente que abriga 54 países independentes, dentre eles a República da África do Sul, vou te contar algo mais bombástico ainda: Aqui tem cidades com prédios, empresas, carros, shoppings, etc e pessoas dos mais diversos tons de pele. Achou estranho eu falar isso? Pois é, mas muitas pessoas quando me ouviram dizer que eu iria morar em Moçambique (após eu explicar onde ficava este lugar, é claro) me fizeram vários questionamentos sobre se eu iria morar numa tribo ou coisa assim. A África não é só o que você assiste nos Discovery Channel, Animal Planet e Globo Repórter da vida. Nem tudo é safari e nem todos são negros.

Este é um pedaço do bairro onde moro em Maputo – capital de Moçambique:

Bairro Central na Zona Baixa da cidade. Praça da Independência, uma visão da Catedral Nossa Senhora da Conceição rodeada por prédios, hotéis e avenidas.

Viu?

Bom, como eu disse também, não há somente negros na África. Outra mania besta que adquirimos. Povos diferentes tomaram estas terras no passado, países colonizaram este lugar, logo, hoje há uma grande miscigenação. Em muitos países a maioria da população é negra sim, já que graças a Deus não fizeram aqui o que fizeram com os índios no Brasil, os donos da terra africana sobreviveram as brutalidades e explorações. Mas por exemplo, na África do Sul onde aconteceu o triste episódio do Apartheid, há uma significativa porcentagem de brancos, cerca de 20%.

É claro que há miséria, epidemias como SIDA (AIDS), animais selvagens e tudo aquilo que você vê quando falam em África, mas há um outro lado. Uma África que tem tudo para se desenvolver, crescer e surpreender o mundo!

Numa próxima conversa vou mostrar que “diacho” é isso de Moçambique! Um país no sul do continente africano, colonizado pelos portugueses,  que se tornou independente somente em 1975 e tem um grande caminho a percorrer ainda. Mas por enquanto fique sabendo que não é porque estou morando num país africano que eu caço pra comer ou vejo elefantes da minha janela!

Tudo bem, eu vi um elefante pela minha janela! Mas foi pela janela do carro e num local próprio para fazer safari, o Kruger Park! :P

 

(*) Os dados contidos neste post não foram fornecidos por órgãos oficiais, logo se você possui outras informações, compartilhe!

 

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter